23.5.09

Ainda a mudança

Isto de mudar de casa tem o seu quê. Permite-nos, por exemplo, fazer umas quantas análises sociais interessantes. Homens das mudanças: carregadores brasileiros, com uns corpos invejavéis (coitados, tb pudera), humildes, a trabalhar a mil à hora. Chefe português, gordo, assim a dar para o xico-esperto, a ver se se escapava de passar recibo. Homens que entregaram o frigorifico (lindo de morrer, já agora): brasileiros, educados, rápidos, eficientes, bem dispostos. Homens que entregaram a máquina de lavar roupa (não tão bonita como o frigorifico, mas toca uma musiquinha muito panasca qdo acaba de lavar): portugueses, brutos, queixosos, que eu tinha tido muita sorte pois por contrato só têm de entregar até ao terceiro andar em prédios sem elevador (isto por acaso dá-me vontade de ir à Worten fazer uma reclamação, são mesmo exploradores). Homens do Continente: portugueses, queixosos, que nunca na vida deles tinham carregado com tantos sacos de areia de gato. Pois, por algum motivo eu pago para me levarem as compras a casa. Senhor da TV Cabo: brasileiro, educado, eficiente. Senhor do Gas Natural: português, pintas, armado em bom. Posto isto: brasileiros 1 - portugueses 0.

4 comentários:

RP disse...

Querida... não que discorde do que comentas (eu que, como sabes, nem sou pessoa para discordar de ti!), mas relativamente aos "portugueses da entrega das Compras do Continente", relembro - em bom nome da verdade - que mandamos vir qualquer coisa como 150Kg de areia para gato... :)

:D

Margarida disse...

Amor,
tudo bem, mas...
1) se fosse para carregar com vácuo até ao 4º andar, eu não pagava para me trazerem as compras a casa.
2) os senhores brasileiros que carregaram com o mega frigorífico, não se queixaram, e olha que me parece que o dito cujo devia pesar mais de 150 kg, e não vinha distribuido em embalagens de 10 kg cada...
3) Além do mais foi por ti... mas ok, coitadinhos dos senhores do continente, podemos voltar ao modo "RP carrega areia escadas acima". Por mim, é na boa :D!

Lua disse...

Todos são simpáticos nos seus próprios países. O resto são comportamentos de imigrante, isto é, és geralmente melhor pessoa lá fora do que aí dentro.

Margarida disse...

Lua,
perdoa-me a parvoíce, mas acho que não percebi...