12.11.08

Sleeping like a baby...

Sinceramente (e graças a Deus que ele não foi eleito), eu respeito o McCain. Tenho pena que não tenha sido presidente ele em vez de qualquer um dos Bush, que isto é como tudo, há republicanos e republicanos. Vi o discurso pós-derrota, e foi espectacular, foi correcto, foi humilde. Os políticos portugueses bem podiam tentar aprender alguma coisa, para variar, que em Portugal nunca ninguém perde as eleições. Também gostei da maneira como ele defendeu a Palin, que até pode ser o diabo, mas o que lhe estão a fazer (principalmente os do partido dela), também não é propriamente bonito. E é interessante que ser mulher nestas coisas só ajuda à festa, neste caso torna-a num alvo ainda mais fácil. Parece que agora, de repente, todos os americanos são todos muito cultos e muito pró-direitos humanos e toca de espezinhar a bimba da Sarah. Sinceramente, parece-me que muitos, independentemente da sua orientação política, levaram à letra essa mais que fabulosa frase "Mais vale preto que mulher!". Depois de encostarem a Hillary à box, a Sarah não podia sair melhor desta história toda. Raios os partam, que as opiniões da senhora até me dão calafrios, mas sinceramente, é preciso ser-se filho da puta, que há coisas que não se dizem, ponto. Anyway, e voltando ao McCain, ele foi um excelente candidato presidencial, e sinceramente, não fosse a crise ter-se agudizado e não sei se era este o filme que estamos todos a aplaudir. Ainda por cima, o sacana tem piada, é bem parecido, e trinta por uma linha. Que tenha uma vida feliz, que ele ainda não sabe, mas teve uma sorte do caraças em ter perdido.
"... sleep two hours, wake up and cry, sleep to hours, wake up and cry..."

2 comentários:

Picas disse...

Desafio na minha estação.

RP disse...

Não perdeu por muito. As contas não foram tão avassaladoras como se esperava. Sim, a crise foi determinante.

Este tipo tem classe, sim senhora. Não querendo ser irónico, é "da velha guarda" :)

Ficou provado que, estatisticamente, o Obama teve mais e mais favoráveis notícias (que apontavam as suas qualidades e feitos) do que o McCain. As coisas poderiam ter sido muito diferentes, sim.