25.1.10

Um bocadinho mais de ilusão?

Comenta a Rita a propósito das notícias recentes de tráfico de crianças no Haiti que coisas como essa a fazem questionar a sua percepção da vida, e passo a citar: "Toda a minha concepção de vida assenta no princípio de que a natureza do ser humano é intrinsecamente boa, que não há pessoas genuinamente más: apenas pessoas infelizes que por não conhecerem outra realidade, não sabem, porventura, fazer feliz o seu semelhante." E nisso somos intrinsecamente diferentes: eu tenho a certeza que a natureza humana é genuinamente maldosa, e que o contrário é que é a excepção. Eu acho que os traumas, o meio em que vivemos, etc, não justificam tudo, nem muito, aliás, às vezes sinto-me radical e acho mesmo que não justificam nada de nada. Then, again, a coisa andará algures lá no meio. Há pessoas que são muito boas tendo tido vidas que para muitos justificariam todo o contrário, e vice-versa também (acho que é o mais comum, gente má como as cobras que não se percebe what the fuck lhes poderia ter acontecido que resultasse em tanta malvadez.) Eu nestes temas sou muito pouco empirista: penso que a genética (ie, a ciência) tem muito ue nos ensinar sobre a tão sobre valorizada natureza humana. Mas às vezes gostava de ser um pouco como a Rita: é verdade que ao esperar sempre o melhor ela também se desilude muito, mas eu vivo em permanente desilusão, bolas, e cansa.

5 comentários:

Lovely Rita disse...

Somos diametralmente diferentes e em tanta coisa, pensamos de maneira oposta.
Mas eu penso que conseguimos fazer coisas boas e em questões essenciais, pensamos da mesma forma.

vicks disse...

As pessoas não são nem boas nem más.
As pessoas são boas e más.

Victor

Tito disse...

Acabei mesmo agora de ler um livro que toca neste assunto: On Human Nature, de Edward Wilson
http://www.amazon.co.uk/Human-Nature-EO-Wilson/dp/0674016386
Recomendo vivamente a quem esteja interessado em sociobiologia e exactamente nas relações entre o nosso património genético e o que acreditamos ser a nossa personalidade e carácter.

Maggie disse...

Rita,
pensar de maneira diferente não impossibilita uma amizade. Falta de respeito e de lealdade sim, mas isso nós temos de sobra! :)

Vicks,
sejas bem aparecido! As pessoas são boas e más, correcto. Mas umas são "mais más" e outras são "mais boas". E às vezes as porcentagens são avassaladoras, tipo 95%/5%.

Tito,
sempre tu com uma sugestão interessante e pertinente. Parece-me fixe, sou capaz de o mandar vir. Entretanto, porque não montas de novo um blogoestaminé? O Twiter é tãaaaaoooo out! :D

Tito disse...

Prefiro escrever comentários nos blogs dos outros; assim como os cucos deixam ovos nos ninhos de outros pássaros.