4.10.10

Abandono animal (inclui abandono "responsável")

Dados de 2009 do estudo da Fundação Affinity:
- mudança de casa: 13.6%
- ninhadas indesejadas: 13.5%
- perda de interesse: 13.3%
- comportamento do animal: 11.7%
- fim da temperada de caça: 11.5%
- factores económicos: 8.7%
- gravidez: 7.1%
- falta de tempo por nascimento de filhos: 6.4%
- morte ou internamento grave: 3.8%
- férias: 3%

Portanto, quase tudo é razão para deixar o animal para trás. A começar por, quem diria, mudança de casa. Deve querer dizer que 13,6% das pessoas quando arranja um cão ou um gato, pensa que vai ficar na mesma casa a vida toda? Não. Simplesmente, não importa, logo se vê. E que tal não o terem, para começar? Que tal pensarem nas consequências? E eu já sei que eles não estão a "abandonar" o animal, mas por cada um que é deixado para trás (mesmo que com novos donos), há milhares a serem abatidos nos canis e outros tantos abandonados "responsavelmente" em associações hiperlotadas e sobreendividadas. Isto nunca acaba.

1 comentário:

melisand disse...

Eu acho que passa por consciêncialização das pessoas. Elas têm que entender que um animal não é um brinquedo e que faz parte da familia.

Eu tenho um cão mas, antes de tê-lo pensei bem se o queria ter e nas consequências de o ter. E sei que se mudar de casa, tenho obrigatoriamente de encontrar uma casa onde possa tê-lo. Abandoná-lo não faz parte dos meus planos. É família!

Bjs