3.10.10

Asas para voar

Porque é que está tudo a ajudar aquele tipo que quer bazar para a Suiça, se a primeira "coisa" de que se querem ver livres é do cão? Fiquei logo mal disposta.

6 comentários:

Gata Escaldada disse...

Porque é o mais difícil e demorado de conseguir, uma boa casa para esse membro da família. Por isso se come4a por aí, para haver tempo de escolher o melhor possível.

Maggie disse...

Se fosse realmente um "membro da família", emigraria também. Parece-me que estamos a falar de emigrar para a Suiça. Espero que encontre uns donos mais conscienciosos de que a adopção de um animal não deve ser uma decisão de curto prazo.

Bluebluesky disse...

Maggie, se calhar qd eles adoptaram o cao nao pensavam que a vida deles mudasse ao fim de uns tempos e tivessem de mudar de pais. Acontece...lembra-te que o adoptaram e o trataram melhor do que alguma vez alguma outra pessoa. E se calhar levar um cao que esta habituado a espaço e ar livre para dentro de um cubiculo so o faria extremamente infeliz. Parece-me que o q estao a fazer é bastante nobre: tentam encotnrar q o adopte nas mesmas condiçoes (isto é, apenas alguem que tenha o mesmo espaço e atençao disponiveis) e querem ser eles a pagar todas as despesas ate ao fim da vida, bem como manter contacto com o animal. Alem do mais estao a fazer as coisas com um ano de antecedencia, para q tudo saia bem. É triste a separaçao? Claro...e vai custar a ambas as partes. No entanto, acredito que seja pelo melhor, para fazer o cao feliz.
Eu dava tudo para ter o Merlin cmg todos os dias, no entanto sei que se o fizesse ia torna-lo num gato extremamente infeliz, pois estaria a tira-lo do seu mundo, so para o ter perto. Prefiro ve-lo menos vezes e morrer de saudades, mas saeb-lo muito feliz.

Maggie disse...

Continua a achar que devia ser um "último caso". Então os cães, que dependem tanto dos donos!!! Mesmo que fique "fisicamente" bem, as saudades que terá dos donos serão muito prejudiciais. E tipo, vão para a Suiça. As pessoas não têm cães na Suiça? Por acaso é o fim do mundo? Obviamente, já que o decidiram fazer (deixá-lo em PT), ainda bem que o estão a fazer com tempo, etc, etc. O que eu contesto é a decisão de o deixar para trás. A ver se a Maria que vai para Bruges não leva o gato. Leva!!! E vai-lhe dar mais trabalho, claro, porque segundo li nem sequer pode ficar nas residências da faculdade e terá de procurar casa fora. Mas eu vejo as coisas desta forma, eventualmente extrema, mas é a minha opinião. Quando se adopta um animal, é para o bem e para o mal, e só mesmo em último caso e em situações mesmo muiiiito complicadas é que nos devemos separar deles.

I. disse...

Sinceramente, acho que estás s ser injusta. Eles não se estão a "livrar" do cão. Estão a tentar arranjar uma nova casa para o bicho. E o que a Maria faz é lá com ela e não pode servir de termo de comparação, não sabemos se as circunstãncias são as mesmas.
Desculpa, mas até há quem emigre e deixe os filhos para trás, porque não têm condições de os levar. Há casais a trabalhar no estrangeiro e os filhos ficam com os avós, tios... e há casais separados pela emigração, até. São piores pessoas por isso? Quem te diz que um dia, podendo, não vêm buscar o cão?
Isto em Portugal não é a Inglaterra, onde até os sem abrigo têm vet de borla, precisando. Aqui há pessoas a passar mal, ele tem dois empregos, sem garantia de manter um deles, e se vão lá para fora para dar um melhor futuro à família e não levam o cão, decerto é uma decisão muito ponderada e que lhes está a custar(como o próprio explica).
Não podemos julgar os outros pelos nossos princípios, por melhores que estes nos pareçam. Este radicalismo faz-me lembrar o daqueles vegetarianos que começam a simular vómitos quando vêem alguém a comer carne.
E não, este "abandono" (que não o é) não se confunde com os que descreves supra.

Bluebluesky disse...

Maggie, é claro que a Suiça nao é o fim do mundo, mas imagina um cao habituado a correr e saltar na rua e a ter companhia para as brincadeiras, a ficar de repente confinado a 60 metros quadrados e sozinho das 8 às 21h... Se fosse um cao "de interior", ja poderiamos por o caso de outra maneira, tal como os gatos, agora assim... implica com aqueles q os abandonam por parvoices e que os abandonam de verdade, nao com quem lhes faz bem, vale? :) bj