16.3.10

É que não vinha mesmo nada a calhar

Fui recambiada para casa mais cedo porque não há internet no trabalho e ninguém consegue resolver o problema. Tudo começou no fim-de-semana quando uns informáticos ingleses - medo - resolveram fazer uns ajustes nuns servidores do UK. Resultado: Madrid ficou sem net. Por algum motivo há algo que tem a ver com a configuração dos nossos IP que está em Itália, mas, imagine-se que com esta coisa da globalização, quem presta o apoio técnico via telefone são uns tipos em Kuala Lumpur. A sério, não estou a brincar, e sinceramente tendo em conta o inglês deles mais valia comunicarem-se por linguagem gestual. Por fim e como se não bastasse, a única pessoa do escritório que olha para um bastidor e percebe o que são e para que servem todas aquelas luzes e cabos viajou para Houston.

Eu só sei fazer start/run/cmd/ipconfig/ e ver que continua tudo na mesma. Portanto, aqui estou eu em casinha. Que chatice pá, uma pessoa já não faz nada sem a tecnologia. Ora bolas para a tecnologia. Malandrona.

4 comentários:

Mnemósine disse...

Um sistema fantástico, portanto.

Prezado disse...

Há muito tempo, quando faltava a net no emprego eu dizia logo que ia pra casa, não estava lá a fazer nada ( o pessoal ria-se e eu ficava no mesmo sitio ). pelos vistos agora já faz sentido, mesmo. É pior que faltar a luz.

Restelo disse...

A bela da globalização e o raio dos informáticos ingleses! ehehehe

Maggie disse...

Demorou 3 dias a reporem tudo como estava! :D 3 dias de produtividade nula, ou mesmo até negativa. Deviam pôr isso nas contas quando fazem os relatórios de subcontratar apoio técnico em Kuala Lumpur...